Extraído do Informativo Stávale Extraordinário de 9 de outubro de 2008:

Queridos parentes, amigos e colaboradores.
É com imenso prazer e orgulho que comunicamos o surgimento de mais um nome de rua, uma rua muito especial, a Rua Lygia Stávale.
Essa rua, que até o dia 5 de setembro de 2008 não possuía nome, está localizada no bairro Pouso Frio, Município de Natividade da Serra ( www.natividadedaserra.com ), Estado de São Paulo - Brasil. Foi denominada Lygia Stávale numa justa homenagem prestada pela Câmara Municipal e pelo Prefeito de Natividade da Serra, pelo exemplo de vida que Lygia deixou para a humanidade.
Essa rua fica em zona rural e ainda não está devidamente pavimentada, mas isso não tira o brilho e nem o mérito do acontecimento, Natividade da Serra é um pequeno paraíso da Terra e Lygia Stávale teve seu nome reverenciado e eternizado em uma das ruas existentes no mundo, como os nomes de outras pessoas ilustres que mereceram essa outorga oficial de um governo.
Nascida em 21 de setembro de 1936, no bairro Moóca, cidade de São Paulo, de família humilde, a vida nunca foi fácil para essa mulher, foi operária, bibliotecária e agente vistor (agente fiscalizador de obras; foi consagrada como a melhor em sua carreira). Ficou mais difícil ainda quando no dia das mães de 1982 perdeu tragicamente o único e grande amor de sua vida, desde os tempos de menina, Hélio Stávale. Com três filhos jovens ainda, seu filho mais novo tinha apenas 10 anos de idade, ela então passou a lutar ainda mais pela manutenção de sua família e também por seus ideais.
Apesar do sofrimento da perda trágica do marido e sozinha, Lygia foi tudo o que costumamos ver nos filmes e biografias com enredo triste, mas finais felizes. Foi perfeita como mãe, filha, irmã, avó, nora, sogra, amiga, trabalhadora, conselheira, combatente, guerreira, enfim... foi uma heroína. Nada esmorecia Lygia, parecia ser indestrutível e que ninguém conseguiria derrubar essa mulher.
Porém, a vida real é bem diferente das vividas nos filmes e o destino tinha decidido de outra forma daquelas que nós costumamos ver nos finais das filmagens. Lygia precisava sofrer mais.
Houve um dia que, muito angustiada pela grande desilusão que teve com pessoas próximas, colegas de trabalho, que ela gostava e confiava, mas que a traíram e prejudicaram muito, Lygia sem querer detonou o sistema de autodestruição que existe em nosso organismo. Começaria então o que o destino tinha planejado para a cena final de sua vida, o seu calvário.
Um monstro silencioso foi comendo o seu cérebro impiedosamente até que, em 05 de janeiro de 1996, ela parou de viver. Não houve tempo de conhecer o seu segundo neto que nasceu em agosto.
Lygia Stávale proporcionou um pequeno investimento no desenvolvimento de Natividade da Serra e na preservação ecológica de uma pequena parte de sua área.
Lygia Stávale foi a fonte de inspiração que resultou no www.stavale.com
Seus restos mortais descansam no jardim da minha casa.
Lygia Stávale é minha mãe.

Lygia Stávale
21/09/1936 - 06/01/1996

A presente propositura visa homenagear a ilustre figura da Agente Vistora Lygia Stávale que, por meio de seu trabalho e de sua luta, proporcionou investimento econômico e preservação ecológica no Município de Natividade da Serra, bairro denominado Pouso Frio.
Lygia Stávale, nascida em 21 de setembro de 1936, faleceu, vítima de câncer no cérebro, em 01 de janeiro de 1996.
Filha de Hermínio Cattozzo e Philomena Ammassari e neta de imigrantes italianos, da cidade de Rovigo, por parte de pai e da cidade de Lecce, por parte de mãe, nasceu no bairro da Moóca - cidade de São Paulo e foi lá que conheceu e casou com o contador Hélio Stávale em 1957, tornando-se Lygia Stávale.
Em sua juventude foi líder operária na Alpargatas (empresa que na época localizava-se na Moóca, onde hoje é a Faculdade Anhembi Morumbi), após o casamento passou no concurso para Auxiliar de Bibliotecária e passou a trabalhar na Biblioteca da Moóca. Depois de alguns anos é aprovada no concurso para Fiscal de Obras, hoje denomina-se Agente Vistor e passa a trabalhar na Administração Regional da Moóca, hoje denomina-se Sub-Prefeitura da Moóca, onde trabalhou o resto de sua vida.
Hélio e Lygia tiveram 3 filhos: Reinaldo, Maurício e Ricardo.
Mesmo com sua morte precoce, Lygia proporcionou que seu filho mais velho, Reinaldo, investisse economicamente no Município de Natividade da Serra e preservasse ecologicamente uma pequena parte de sua área, a nascente do Rio Pararaca.